Zillion faz 30 anos

Em abril de 1987 o desenho Zillion estreiou no Japão e faz aniversário de 30 anos neste mês. No Brasil, fez sucesso da década de 90 sendo transmitido pela Globo e depois pela Gazeta. Este desenho é um clássico e inovou em diversos aspectos.

A SEGA estava competindo com a Nintendo em 1986 e precisava de um conceito para lançar sua pistola que acompanhava os modelos iniciais do Master System, com isso a empresa Tatsunoko Production foi encarregada de realizar todo conceito do jogo e produzir um desenho animado. Com esse briefing poderia se esperar qualquer coisa banal, mas de fato conseguiram entregar um desenho além disso.

fusi-zillion-concept-iniciodetudo.jpg

A história se passa em 2387, em um novo planeta, chamado Maris, em que a humanidade está colonizando, pois o planeta Terra já não é possível de ser habitada. Mas eis que surge a raça Noza desejando também colonizar Maris e eles são muito mais avançados tecnologicamente e fisiologicamente. Porém por um milagre inexplicável, surgem 3 armas vindo do espaço com design para serem utilizadas pelos humanos e este é um dos grandes mistérios do desenho. É como se uma outra raça alienígena entregasse para os terráqueos uma maneira de sobreviverem a invasão Noza. Lendo assim parece bobo, mas os caras criaram toda uma trama com suspense que deu para levar a sério o mistério e realmente acreditar que as armas eram especiais e precisavam de agentes treinados para utilizá-las contra a ameaça superior alienígena.

Com uma pegada sinistra para época os inimigos Nozas eram os vilões do desenho. Sem bocas com rostos brancos, o design dos alienígenas assustava e convencia. O vilão Barão Ricks foi personagem que tornou-se épico devido a sua ética de guerreiro e obstinação por J.J. E de vilão se torna anti-herói em uma saga muito boa. A criatividade comeu solta e existiram diversas variações dos alienígenas, sempre com uma surpresa em cada episódio.


Deu para perceber o grande trabalho da equipe ao realizar o design e conceito de todos os personagens. Os alienígenas tinham um design orgânico que permeava em suas vestimentas, equipamentos e veículos utilizados. Os japoneses detalhavam muito bem os animes e tinham paciência de fazer as animações em perspectiva quadro a quadro. Existem várias animações deste tipo, mas é claro que em alguns momentos era possível perceber que eles perdiam o fôlego, mas ainda sim foi um trabalho realizado com muita qualidade técnica e muita diversificação de personagens.

51c98e466ea9b851

 

Os personagens tinham suas próprias características. O ousado J.J era o mais novo integrante com 16 anos e tinha como característica ser politicamente incorreto em algumas situações. E como o herói fugia das regras, em um episódio é revelado que na verdade foi um erro de computador a seleção de J.J para o grupo White Knights (força especial que utilizava o Zillion). Na verdade quem deveria estar no grupo era um militar renomado com vários diplomas e treinamento, no entanto o personagem foi apenas citado e imaginado, mas nunca apareceu no desenho. De fato era mais um dos mistérios do anime e sem dúvidas J.J estava pré-destinado a manipular o Zillion.

Champ era um personagem mais vaidoso e sempre companheiro. Existia uma certa rivalidade entre ele e J.J mas no fim sempre se uniam. As caracterizações dos personagens foram muito bem construídas o que deu mais vida ao anime pois eles eram diferentes, mas permaneciam unidos por um mesmo propósito.

Apple era a heroína do desenho e tinha o estilo mais durona, mas era sensível em alguns momentos. J.J sempre teve uma queda por ela, mas tudo ficava no ar.

fusi-apple-champ-zillion

Depois do décimo episódio o design de Zillion mudou e não lembrava mais a pistola que acompanhava o Master System. Existem rumores que houve uma briga com a Sega e a mudança de design foi uma metáfora disso. O episódio em que acontece isso é quando J.J sacrifica uma das armas em troca da vida de Apple, este é um dos momentos mais marcantes do anime.

fusi-zillion-concept2
E assim formavam um trio de guerreiros unidos que protegiam Maris dos Nozas e era como uma rotina de trabalho, o que tornava o desenho tão real pois sempre existia alguma situação de conflito humano onde o problema Noza aparecia como um obstáculo para lidar com tudo. O desenho não focava apenas na invasão alienígena mas em como manter uma rotina de vida no meio desta guerra e isso foi um grande mérito dos roteiristas. A estratégia e espionagem também faziam parte do roteiro e eram bem articulados na medida certa, sem exageros. Zillion fez muito sucesso no Brasil e na França, mas pouco nos EUA, pois não foram exibidos muitos episódios lá.

 

Infelizmente o último episódio nunca passou na Globo e eu como muitos só assistiram na Internet anos depois. Era péssimo ficar aguardando o desfecho da saga e quando você estava ansioso para ver o final e eles simplesmente voltavam para o primeiro capítulo. Em algumas fases começavam a reprisar fora da ordem, enfim na década de 90 eles simplesmente não respeitavam o público. E se você quiser conhecer Zillion, todos os episódios estão disponíveis no Youtube, Clique aqui para o primeiro episódio.

Sem dúvidas este anime marcou uma geração e é considerado por muitos como um dos melhores desenhos animados já vistos. Quem sabe num futuro possa existir um Live Action. Aproveite e veja os 10 melhores momentos de Zillion selecionados pelo FUSI:

Por Mauris Poggio

 

 

5 comentários em “Zillion faz 30 anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s